Biogas Personal Machine – transforme dejetos em combustível

sintexSintex, uma empresa Indiana produtora de materiais plásticos, desenvolveu um biodigestor bastante simples capaz de transformar dejetos em algo bastante útil: energia. O biodigestor pode ser abastecido com qualquer material orgânico. A decomposição desse material gera, entre outros produtos finais, gás metano, que é coletado e armazenado para uso posterior.

Um digestor de 1 metro cúbico inoculado com esterco de gado, é capaz de converter os resíduos produzidos por uma família de 4 pessoas em gás metano em quantidade suficiente para ser utilizado no cozimento de alimentos além de gerar lodo para ser utilizado como fertilizante.

O modelo de 1 metro cúbico custa aproximadamente $425 dólares. Segundo alguns estudos, esse valor pode ser recuperado em menos de dois anos pela economia de energia. Até o momento, a empresa instalou apenas 100 desses biodigestores em toda a Índia.

Via CNNMoney.com

O crescimento da geração de energia por fontes renováveis

Gráfico extra�do do relatório REN21 2007.

Um estudo realizado pela REN21 (Renewable Energy Policy Network for the 21st Century) juntamente com o Worldwatch Institute mostra que, dos 4.300 GW de energia consumida anualmente em todo o mundo, 240 GW provêm de fontes renováveis.

Em 2006, foi observado um crescimento na produção de energia por diversas fontes alternativas: Eólica (25-30%), Solar – fotovoltaica (50-60%), Solar – térmica (15-20%) e Biocombustíveis (15-20%). Estima-se que o uso de energia renovável fará com que se deixe de emitir por ano cerca de 5 gigatons (5Gt) de gases responsáveis pelo aumento do efeito estufa.

A energia eólica (a maior das novas fontes de energia) alcançou 90 GW de capacidade acumulada em 2007. A energia solar fotovoltaica gerou, em 2007, cerca de 8 GW.

Sistemas que utilizam a energia solar para o aquecimento de água são responsáveis pelo fornecimento de água quente para mais de 50 milhões de residências. Cerca de 25 milhões de residências localizadas em zonas rurais utilizam energia produzida por biogás, pequenas turbinas eólicas, energia solar e por outras tecnologias.

Os mais de U$100 bilhões aplicados no mundo todo no setor de energia renovável durante o ano de 2006 é, sem dúvida, um voto de confiança por parte dos investidores. Além disso, cerca de 50 países estabeleceram como meta o aumento no uso desse tipo de energia (13 países em desenvolvimento, todos os países da União Européia e diversas províncias dos EUA e Canadá) e 44 países/estados/províncias possuem um Renewable Electricity Standard (RES) que define que uma parcela da eletricidade produzida no futuro seja a partir de fontes renováveis.

No gráfico acima, observa-se a capacidade de geração de energia (em Gigawatts) por fontes renováveis (excetuando-se grandes hidroelétricas) do mundo e de diferentes países.

Abaixo, observa-se a evolução do investimento (em bilhões de dólares) anual realizado em energia renovável entre 1995 e 2007.

Gráfico extra�do do relatório REN21 2007.

O relatório completo pode ser acessado AQUI.

Restos de comida em energia

ucdavisdigester

Pesquisadores da Univerisity of California Davis estão se inspirando em Doc Brow do filme De Volta para o Futuro e utilizando restos de comida para produzir energia. Para quem não se lembra, o personagem de Chritopher Lloyd volta do futuro e abastece com lixo a sua Delorean.

Estudantes e professores estão envolvidos em um projeto chamado Biogas Energy Project onde trabalham no desenvolvimento de um digestor anaeróbio para a decomposição de matéria orgânica e geração de hidrogênio e metano, que poderão ser utilizados para produzir energia.

Atualmente, a equipe recebe cerca de 8 toneladas semanais de restos de comida de restaurantes localizados na área de São Fracisco, Califórnia, e produzem energia suficiente para abastecer 10 residências de grande porte. Dirigida pela professora Ruihong Zhang, o time do Biogás trabalha em parceria com uma companhia chamada Onsite Power Systems e irá operar em uma escala maior nos próximos meses quando a tecnologia será levada para fazendas e outras companhias que produzem resíduos orgânicos.

ucd_zhang

De acordo com o diretor da Onsite Power Systems,

Essa tecnologia trará uma importante redução no uso de nossos aterros sanitários, além de petróleo e carvão utilizados na produção de eletricidade. Onsite Power Systems já investiu quase $2 milhões de dólares no desenvolvimento e aperfeiçoamento dessa tecnologia.

Via UC Davis News & Information